"Essas palavras que escrevo me protegem da completa loucura." Charles Bukowski

quinta-feira, agosto 07, 2014

Apenas uma princesa









Ela morava com seus 7 homens. 
Sim... 
Sete!!! 
Amoral? 
Que nada... 
Apenas uma princesa de histórias infantis.

#‎contocom100letras‬

terça-feira, agosto 05, 2014

E seus pequenos probleminhas...






No fundo, no fundo,
bem lá no fundo,
a gente gostaria
de ver nossos problemas
resolvidos por decreto
a partir desta data,
aquela mágoa sem remédio
é considerada nula
e sobre ela — silêncio perpétuo
extinto por lei todo o remorso,
maldito seja quem olhar pra trás,
lá pra trás não há nada,
e nada mais
mas problemas não se resolvem,
problemas têm família grande,
e aos domingos
saem todos a passear
o problema, sua senhora
e outros pequenos probleminhas.

Paulo Leminski,

o pássaro azul



há um pássaro azul em meu peito
que quer sair
mas sou duro demais com ele,
eu digo, fique aí, não deixarei que ninguém o veja.
há um pássaro azul em meu peito que
quer sair
mas eu despejo uísque sobre ele e inalo
fumaça de cigarro
e as putas e os atendentes dos bares
e das mercearias
nunca saberão que
ele está
lá dentro.
há um pássaro azul em meu peito
que quer sair
mas sou duro demais com ele,
eu digo,
fique aí,
quer acabar comigo?
(…) há um pássaro azul em meu peito que
quer sair
mas sou bastante esperto, deixo que ele saia
somente em algumas noites
quando todos estão dormindo.
eu digo: sei que você está aí,
então não fique triste.
depois, o coloco de volta em seu lugar,
mas ele ainda canta um pouquinho
lá dentro, não deixo que morra
completamente
e nós dormimos juntos
assim
como nosso pacto secreto
e isto é bom o suficiente para
fazer um homem
chorar,
mas eu não choro,
e você ?

 De Charles Bukowski,

Sentir é muito lento





Essa minha secura
essa falta de sentimento
não tem ninguém que segure,
vem de dentro.
Vem da zona escura
donde vem o que sinto.
Sinto muito,
sentir é muito lento. 


Paulo Leminski

segunda-feira, agosto 04, 2014

Não discuto



não discuto
com o destino
o que pintar
eu assino


Paulo Leminski

conselhos de um jovem poeta, para alguém que sofre por amor





"Ame para estancar e para reconstituir. Ame para levantar e ame para prosseguir. Ame para proteger e para libertar, mas, jamais, deixe a falta impedir-te de amar. Encante-se pelas flores dos teus jardins e, não passe nem um dia sequer, sem semear por aí, todo o amor que brota em ti. Ame-se por dentro e por fora, não espere por uma mudança, ame-se agora. Seja capaz de amar as tuas imperfeições e, conseguirá, entender – também – as que não são tuas. Seja capaz de amar as tuas limitações e, alcançará, a luz natural das tuas próprias ruas. Ame-se no espelho e, também, sem observar-se. Ame-se hoje, como se amanhã, não fosse mais encontrar-se. Ame – simplesmente – por saber, que somos capazes de amar e, entenda que para vencer – muitas vezes – precisamos recuar. Ame-se – enfim – por ser, toda a verdade que pode haver, nas tuas infinitas possibilidades de amar. "

Fellipo Rocha

sexta-feira, julho 25, 2014

Sonhar




"O sonho é que leva a gente para a frente. Se a gente for seguir a razão, fica aquietado, acomodado."
 
 
Ariano Suassuna

quinta-feira, junho 26, 2014

Sempre Perto






 

"Eu quero te pedir perdão, sei que tenho andado um pouco relapsa com a nossa história. Sei que você não tem obrigação de me aceitar do jeito que sou, de me perdoar por tantos erros, de suportar minhas mudanças de humor, de tolerar meus medos infinitos, de engolir meu lado sombrio, de preencher meu vazio existencial e de me carregar no colo quando minhas forças não são fortes o suficiente. Me desculpa, sei que nem sempre sou divertida, inteligente, sexy, amorosa e gentil como deveria. Me desculpa, sei que andei um pouco ausente, sem vontade de te contar tudo aquilo que me aflige. Sinto um pouco de vergonha por ter saído à francesa da sua vida. Mas eu voltei. E isso deve ser bom para nós. Por favor, diga que me aceita de volta, de braços, coração e sorriso abertos. Preciso de você, do seu ouvido, do seu carinho sincero, da sua paciência. Preciso que você entenda que nem sempre consigo entender esse mundo cheio de angústias. Mas quero que saiba que a partir de agora vou me esforçar para melhorar um pouco isso que a gente chama de amor. Se você ainda me quiser estarei aqui."

 Clarissa Corrêa

quarta-feira, junho 25, 2014

E fica tudo bem...







Sou quase normal, semi legal. Mas nunca desejei o mal. Não consigo odiar. Mesmo. E olha que já tive motivos para odiar algumas pessoas. Não odeio. Sinto raiva, sim. Então eu grito, brigo, xingo (a pessoa ou o vento). Depois passa. Depois vira poeira, vira nada. Tem coisa que sacode a gente que nem vento forte. Depois vai embora e deixa uma leve bagunça. A gente ajeita e fica tudo bem.❞ 

Clarissa Corrêa

Cicatriz









"Quando fica cicatriz fica difícil de esquecer
Visível marca de um riscado inesperado, pra lembrar o que lhe aconteceu...
Visível marca de um riscado inesperado, pra lembrar e nunca mais esquecer!"


Cicatriz, da Nação Zumbi

quarta-feira, junho 18, 2014

Da série: o que é o amor?








"O amor não é sobre o quanto você diz eu te amo. O amor é sobre o quanto você pode provar que é verdade."

Athena Orchard

sexta-feira, maio 30, 2014

Amar é...

 






[...]

Amar é ficar irritada, amar é brigar e logo depois cair na cama. Amar é ficar sem palavras, é querer falar e não conseguir. Amar é tentar não dizer "eu te amo" toda hora para não banalizar, mas dizer mesmo assim, porque amar é esquecer de pensar às vezes. Ou duas vezes. Ou, talvez, sempre. Amar é roubar beijo. Amar é jurar ao invés de prometer. Amar é sorrir ao ver uma foto. Amar é surtar de vez em quando. Amar é achar o clichê maravilhoso.
Sobretudo, amar é escrever palavras repetidas, porque eu sei que te faz feliz ouvi-las várias vezes. Sinceramente, eu não tenho como comprovar se minhas definições sobre amor estão corretas; porém amar é o que eu mais tenho feito. Amar sou eu, é você, somos nós e essa minha vontade louca de poder reescrever este texto todos os dias. 



Isabela Freitas

quarta-feira, maio 28, 2014

Irremediável




















”Sou composta por urgências minhas alegrias são 
intensas minhas tristezas, absolutas. Me entupo de
 ausências, me esvazio de excessos. Eu não caibo
no estreito, eu só vivo nos extremos. Eu caminho, 
desequilibrada, em cima de uma linha tênue entre
 a  lucidez  e a  loucura. De  ter amigos eu   gosto 
porque preciso de ajuda pra sentir, embora  quem
se relacione comigo saiba que é por conta própria
e  auto risco. O que tenho de mais obscuro, é o que
 me ilumina. E a minha lucidez é que é perigosa …
Se eu pudesse me resumir, diria que sou irremediável.”


Clarice Lispector

sexta-feira, maio 23, 2014

Vale a pena ler de novo







Amor extra.
Bônus de felicidade.
Você chegou
No meu mundo ao contrário.
Me olhou bonito
E entendeu o meu não-entender.

Foi então que eu percebi:
Meu coração é do tamanho da minha palavra.

Fernanda Mello

quarta-feira, maio 21, 2014

Cheia de muitas letras







Porque eu não sou de pouco verbo. Poucas palavras. Nem poucas vontades. 
Portanto, acostume-se. 
(Ou tire seu time de campo, se me achar cheia de muitas letras...)
Fernanda Mello

terça-feira, maio 20, 2014

Vai dar certo

 




Se eu pudesse te dar um conselho só, sabe, só um, ele com certeza seria: não se preocupe. Tudo vai dar certo. Ou errado. E o errado às vezes é o certo. A vida tem maneiras estranhas de nos mostrar o que precisamos, e muitas vezes, não precisamos daquilo que acreditamos precisar. Compliquei demais? Você já vai entender.
Você vai se decepcionar com as pessoas que mais gosta e admira. Elas vão virar as costas quando você mais precisar, acredite. Já aconteceu comigo, com sua mãe, sua vizinha e tenho certeza de que você é a próxima. Pessoas de verdade estão cada vez mais raras, e não é a mesma coisa que procurar uma roupa do seu tamanho num shopping lotado. Você até pode achar uma roupa que sirva, mas ela precisa durar a vida inteira, entende. 
Você vai tirar notas ruins mesmo após noites insones em cima dos cadernos e sem ter faltado uma aula sequer daquela matéria.
Sua mãe um dia vai chegar cansada do trabalho e dizer que você não faz por merecer a vida que tem. Vai gritar sem motivo algum e depois agir como se nada tivesse acontecido. Normal. 
Tem também o dia em que você vai pegar seu namorado beijando sua melhor amiga enquanto você vai ao banheiro. Ah, não acredita? Pois acredite. Nesse dia você vai virar alguns drinks e fazer feio na frente de toda a cidade. Vai fingir não se importar e sentir um nó na garganta que não se desfaz por nada. No fim da noite, vai ser o momento de chorar abafando o som com o travesseiro. Mas depois de algum tempo, você vai ficar bem, garanto. 
Preciso avisar também sobre o dia em que você vai se apaixonar perdidamente por alguém e se esforçar muito para que ele seja feliz ao seu lado. Vai dar seus melhores sorrisos, vestidos e versos. E adivinha? Não vai ser valorizada. Vai insistir e desistir por dezenas de vezes, o que é normal, porque não gostamos de "deixar para lá" e sempre achamos que ainda há uma solução. Bem, sinto dizer, mas alguns problemas não querem ser solucionados. 
Você vai ser demitida do trabalho que tanto se dedica, vai ouvir ofensas de que nem te conhece, vai ser mal tratada no seu restaurante favorito, vai ser despejada do apartamento, vai tomar um tombo no meio da rua, vai perder o seu cordão favorito, vai pintar o cabelo e se arrepender, vai quebrar o celular que nem acabou de pagar, vai ouvir desaforo da sogra, vai ficar doente e ter que ser internada, vai descobrir que aquela amiga "tão querida" nunca quis seu bem, vai passar um feriado em casa enquanto seus amigos se divertem na praia, vai dizer um "eu te amo" e escutar apenas um "eu também", vai descobrir que é impossível fazer sempre o certo e agradar a todos, vai perceber que erros não passam despercebidos e que as pessoas vão sempre te julgar, vai cair de cara no chão. De novo. E de novo. Se machucar toda, carregar cicatrizes e achar que não consegue mais. E quando você não tiver mais forças, vai aparecer alguém para te dar a mão e te reerguer. É ele. Deu certo. 



Conheçam o site da Isabela Freitas